Inovação de empresa portuguesa pode tratar Doença de Crohn

Tempo de leitura: 2 minutos

Inovação de empresa portuguesa pode tratar Doença de Crohn

David Malta, jovem de 27 anos doutorado pelo MIT (Massachusetts Institute of Tecnology) afirma “Não existe nenhum produto no mercado que faça o mesmo que o nosso”. O jovem doutor é também empreendedor e está a frente da empresa Cell2b, junto com mais três amigos. A Cell2b desenvolveu um fármaco para tratar doentes que apresentam sinais de rejeição após transplantes de medula óssea e os promotores do projeto querem expandir a área de atuação do produto. Na mira, encontra-se o tratamento de doenças do foro oncológico e imunológico.

Os quatro empreendedores responsáveis pela Cell2b são David Malta, Daniela Couto, Pedro Andrade e Francisco Santos, sendo que estes dois últimos estão cursando pós-doutorado na área e, no momento, não se dedicam 100% à empresa.

Após pouco mais de um ano e meio de a empresa ter sido criada, os quatro fundadores e sócios precisaram de um aumento de capital de 600.000€ (600 mil euros) para conseguirem avançar com os testes. O investimento chegou de investidores-anjo interessados no projeto.

“Já temos o produto inicial desenvolvido com resultados em seis doentes portugueses. Temos a prova de que funciona e precisamos efetuar os testes de segurança e eficácia para avançar com a comercialização”, conta David Malta.

David Malta afirma que o produto que inventaram já está patenteado e não existe outro no mercado que faça o mesmo. A prova de conceito foi realizada na doença do enxerto contra o hospedeiro, a rejeição que está associada aos transplantes de medula óssea. O fármaco da Cell2b consegue “dizer” ao corpo que o órgão transplantado, que ele não reconhece, é benéfico.

A inovação da Cell2b poderá tratar transplantes de fígado, coração e até doenças do foro imunológico, como a Doença de Crohn e a artrite inflamatórias. O tratamento para cada uma dessas doenças ainda precisará ser testado antes de ser comercializado. David Malta acredita que em 2016 a empresa já estará pronta para iniciar a comercialização da terapia para transplantes de medula óssea. As demais terapias dependem dos investimentos que o projeto conseguir angariar.

Até à data, o grande desafio tem sido levantar o financiamento necessário para levar adiante o desenvolvimento tecnológico da terapia celular que os quatros jovens inventaram.

Fonte: Cell2b – Como enganar o corpo humano

Avalie!