Tudo que você precisa saber sobre… Colite Ulcerativa

Tempo de leitura: menos de 1 minuto

Introdução

A Retocolite Ulcerativa (RCU), também conhecida como Colite Ulcerativa, é uma inflamação na mucosa intestinal, mais especificamente do intestino grosso, no cólon. Muitas vezes é confundida com a síndrome do intestino irritável e com a doença de Crohn.

Não se sabe ao certo o que causa a RCU. Acredita-se que haja alguma interferência genética e sabe-se que os sintomas podem ser agravados com o tipo de alimentação ingerida. Outro ponto importante é que pessoas que apresentam a colite ulcerativa costumam ter problemas no sistema imunológico, mas não se sabe se isso tem ligação direta com a doença ou não. No geral, a inflamação começa na área retal e se estende por todo o intestino grosso.

Epidemiologia

A RCU afeta igualmente ambos os sexos, mas há indícios que indicam que pode afetar ligeiramente mais homens que mulheres. O aparecimento dos sintomas podem se iniciar em qualquer idade, contudo é raro em crianças menores que 5 anos. Na maioria dos casos, os sintomas surgem em indivíduos com idades entre 10 e 40 anos.

É mais comum nos povos de etnia branca, especialmente nos descendentes de judeus. É bem mais rara em indivíduos de etnia negra e asiáticos. Além disso, há predominância nas áreas urbanas.

Sintomas

Os sintomas da RCU variam bastante e o paciente alterna entre períodos com sintomas intensos e períodos sem sintomas.

Os sintomas mais comuns são diarreia sanguinolenta, perda de peso devido à má absorção de nutrientes, náuseas, dores abdominais, febre e vômitos. Em alguns casos pode haver tenesmo e em 15% dos casos há aparecimento de fissuras anais e abscessos retais.

Diagnóstico

De forma semelhante ao que acontece com as outras Doenças Inflamatórias Intestinais (DII), a Retocolite Ulcerativa não possui um exame específico de diagnóstico. Quando um médico suspeita que seu paciente esteja com RCU ele geralmente pede uma radiografia com bário (trânsito intestinal, onde o paciente ingere sulfato de bário em pó misturado com água que dentro do intestino possibilita a obtenção de imagens por raio X), uma retossigmoidoscopia e uma colonoscopia. Outros exames complementares são a tomografia computadorizada, exames de sangue e a endoscopia alta.

Tratamento

Apesar de não haver cura para a retocolite ulcerativa, o tratamento é muito eficaz e visa diminuir os sintomas, prevenir complicações e melhorar a situação do cólon e, consequentemente, da qualidade de vida do paciente.

Em casos mais graves há a necessidade de internação e administração de corticoesteroides a fim de reduzir a inflamação e induzir a remissão.

Os medicamentos mais comuns utilizados para o tratamento da Doença de Crohn são a sulfasalazina, os corticoides, os imunossupressores e os biológicos (infliximab e adalimumab).

  • Sulfasalazina – é utilizado para o tratamento de diversas DIIs em casos onde os sintomas são leves. Na maioria das vezes continua sendo prescrita por toda a vida, pois ajuda a impedir a recidividade das inflamações;
  • Corticoides – são administrados em casos onde a RCU é grave. Este tipo de medicação é extremamente eficaz para diversos tipos de inflamações;
  • Imunossupressores – são considerados os remédios de uso oral mais eficazes na manutenção da remissão da RCU e podem servir para tirar a dependência dos corticoides;
  • Biológicos – surgiu como uma opção de tratamento para pacientes refratários à terapia convencional (corticosteroides, azatioprina), com o objetivo de induzir a remissão da doença e evitar procedimentos cirúrgicos. Também é usado para manter a remissão no pós-operatório.

Em casos mais graves o tratamento cirúrgico pode ser necessário.

Prognóstico

Mesmo sendo uma doença crônica, a Retocolite Ulcerativa não é considerada fatal. Comumente, ela não possui impacto profundo na rotina dos doentes, sendo necessário somente em alguns casos a internação hospitalar. Alguns médicos restringem certos alimentos que podem agredir o intestino, no entanto, a dieta – na maioria dos casos – não é rígida.
Embora a mortalidade seja baixa, é necessário o tratamento constante para que as crises sejam controladas.

  • Suelaine

    Sou Suelaine. Tenho ileo colite ulcerativa, tem alguém no blog com essa doença? A barriga fica inchada, muito gases, a minha está leve só tomo Mesalazina 1600 mg por dia.

  • Suelaine

    Parabéns pelo blog, Thiago.Como você está depois da cirurgia?

    • Thiago Jose Streck Del Grande

      Oi Suelaine, tudo bem?
      Obrigado pela participação no blog! 🙂
      Depois de 3 anos de cirurgia, estou muito bem! Estou levando uma vida perfeitamente normal e sem sintomas.

      • Suelaine

        Que bom. Eu no momento estou bem, estou em remissão sem a diarréia. As restrições alimentares que é triste, e também não posso fazer exercícios, se fazer força minha barriga doi ai vem os sintomas , não posso apertar a barriga, também vem os sintomas .Meu sonho é que achem a cura para essa doença.

  • Suelaine

    Eu tenho muitas restrições alimentares. Nada de conservantes amido de milho, leite e derivados . É triste. Ha 6 anos tenho a doença. Motivo estresse contínuo e forte, por causa da faculdade, tranquei a matrícula. Sou de Goiânia. Tchau para todos.

  • Diego

    Olá pessoal, eu tenho Retocolite Ulcerativa, descobri faz 2 anos, neste tempo tomei todos os medicamentos que induz a diminuir os sintomas, nenhum deles funcionou, agora estou tomando o medicamento biológico ( Infliximab ), tomei a primeira aplicação, vi grandes melhoras, sem sangramento e pouca dores. O lado Ruim da Retocolite Ulcerativa é que temos muita gases a onde acaba nos induzindo a ir no banheiro e evacuando. Referente a Alimentação fiz um acompanhamento na Nutricionista, onde me faz varias restrições, praticamente vivia de “vento”, como estava evacuando muito sangue e com uma dieta restrita, acabei tendo uma anemia forte, tive que me interna e tomar bolsa de sangue. Minha medica disse uma coisa importante, somos o que comemos, mas nem sempre o problema que temos é do que comemos. Procuro evitar sempre Temperos fortes, molhos picantes, é procurar sempre comer em casa, pois o que comemos fora de casa não sabemos do que é feito e como foi feito. Estou indo para a minha Segunda Aplicação e estou confiante na remissão da doença, com fé em deus tudo é possível !.

  • Cássio Borges

    Parabéns Thiago pelo blog. Muita coisa bacana!! Descobri a pouco tempo a RCU e vamos a luta!!! Você teve que passar por uma cirurgia?

    • Thiago Jose Streck Del Grande

      Olá Cássio! Obrigado!
      Eu tive que me submeter à cirurgia para retirada parcial do intestino. Fiz em 2013 e desde então estou ótimo.
      Saúde pra nós!

      • Cássio Borges

        Obrigado pela atenção. Confesso que tenho meus temores e encontrar estes espaços para conversar é sempre bom. Saúde para nós!!

  • Leo

    Boa noite a todos!

    Descobri a 6 meses ser portador de RCU iniciei o tratamento com prednisona e mesalazina por 2 meses realizei vários exames e hoje estou tomando mesalazina de 800 3 vezes ao dia total 6 comprimidos e 1 comprimido de azatropina porém continuo com os sintomas alguém saberia me informar qual o tempo para essa doença entrar em remissão ? Por conta do custo elevado dá mesalazina e a dificuldade de se conseguir pelo estado pois estou a 3 meses tentando retirar essa medicação via farmácia de alto custo ,porém alegam que sempre está em falta estou utilizando o genérico dá Legrand também usei o dá neo química porém não era absorvido e acabava saindo nas fezes.